EXPERIMENTAL, PERSONAL

Porque sim. És linda.

image

Advertisements
EXPERIMENTAL, PERSONAL

De.sentido (como tu gostas)

Há dias em que saio da tua presença e descubro que não me encontro em ti. Outros, não quero sair. Quero abraçar-te e ver-te dormir, ou ouvir – porque fazes soar a respiração.

Ontem vi-te escrever, de dedos ágeis e palavras simples, soltas letras que constroem palavras com a facilidade com que uma miúda salta à corda. Foi assim que vi. És linda.

Mostras-te-me a tua alma, foi assim que vi.

Não sei porque tenho este interesse por mulheres que escrevem, deve ser porque estou longe de tal instinto.
Essa faceta excita-me mentalmente e… transforma o meu batimento cardíaco em tensão sexual.

Falas muito, eu ouço, sou bom ouvinte mas dás uma grande volta para contar uma história da qual eu já sei o final. Gosto disso. Podia dizer como o Pablo: “gosto de ti calada”, mas não. Delicio-me ao olhar para ti.
Porque me encandeias com as tuas expressões, com a tua boca a disparar meios sorrisos em simultâneo com o conteúdo do pensamento.

Ah, esse sorriso.

A tua liberdade sabe-me a pouco, não pelo motivo que poderás pensar. Enganas-te se o pensas. Estou entregue, rendido à magia de tanta sabedoria em miniatura, de tantos sorrisos roubados com erros linguísticos.

Não estás solta, tens uma ancora muito pesada no passado. Sabes: eu sinto-o, e isso não me permite explorar-te à minha maneira, encontro proibições em todo o lado. Parece q este sentido é único e eu vou completamente ao contrário.

É assim que vejo… é assim que não te sinto. Ou sinto. Tenho dias em sinto a mais, outros menos.

Obrigado Yaka  pela sensualidade com que traduzes a minha vida.

Amoro.te